"Incentivar a leitura é a forma mais eficaz de disseminar cultura e valores, incitar a imaginação e despertar a criatividade."
Elaine Sekimura

3096 dias Posso finalmente dizer: Sou Livre, por Natascha Kampusch

Natascha Kampusch sofreu o destino mais terrível que poderia ocorrer a uma criança: em 2 de março de 1998, aos 10 anos, foi sequestrada a caminho da escola!

 3096 dias Posso finalmente dizer: Sou Livre
Livro: 3096 dias
Autor: Natascha Kampusch
Edição: Atualizada
Categoria: Suspense
Formato: PDF
Lançamento: 2011
Trecho: Grátis
Download: Disponível



Sinopse:

O sequestrador - o engenheiro de telecomunicações Wolfgang Priklopil, a manteve prisioneira em um cativeiro no porão durante 3.096 dias. Nesse período, ela foi submetida a todo tipo de abuso físico e psicológico e precisou encontrar forças dentro de si para não se entregar ao desespero.

Resenha, por Raffa

Quando pegamos um livro com fatos verídicos existe o fator surpresa no que ainda não nos foi revelado mas também - caso já conheçamos a história - o compramos já sabendo o final.
No caso de 3096 dias a história de Natascha Kampusch já era conhecida no mundo inteiro, mas confesso que não lembrava de boa parte do que ela conta, mesmo no que diz respeito as coisas publicadas na imprensa durante os 8 anos de cativeiro. Não, você não leu errado, Natascha foi refém de um monstro por todo esse tempo, quando foi raptada ela estava a caminho da escola e tinha apensa 10 anos, quando conseguiu se libertar ela tinha 18 anos.
O relato da jovem no início do livro pode dividir opiniões, não vi seus pais como bons pais, pelo menos não no que ela conta, me pareceram um tanto quanto sem paciência com a menina, principalmente a mãe, por isso nos primeiros capítulos onde ela narra sua infância e a história de sua família, me espantou principalmente porque eu sabia que longe dos pais sua vida foi ainda pior.
O dia em que Natascha foi raptada , era uma das primeiras vezes que ela ia sozinha para a escola, ela mesma diz que naquela época - o ano era 1998 - já haviam alguns crimes envolvendo pedófilos que haviam matado suas vítimas e ela estava alerta. Difícil imaginar que em uma cidade como Viena , onde só recebemos notícias de " Mundo perfeito" uma onde de maníacos estuprando e matando crianças. O livro é uma tensão só,por mais que saibamos o que iria acontecer, ela narrando que ia passar pelo sequestrador dá uma vontade imensa de entrar na história e gritar : " Por favor, não! Corre!" . Mas ela não o faz, ela passa por ele, ela é pega por ele e colocada dentro do carro branco. Ali terminava a infância de uma menina de classe média e começaria seu tormento por 3096 dias. Ao perguntar a Wolfgang ( o monstro que a sequestra) se iria estuprá-la ele responde que não, porque ela é muito nova. O leitor imagina que ainda tem muita história para ser contada e se pergunta - caso ainda não tenha lido as inúmeras reportagens com Natascha - se ele iria abusar dela sexualmente.
O cativeiro minúsculo, a falta de recursos, tudo é narrado, ela se lembra de tudo e sofremos junto com ela durante a leitura. Muitos podem se espantar quando ela narra dos 10 aos 12 anos a espécie de " carinho" que ela tinha com ele, afinal dependia dele para tudo, vista como criança , do seu modo doentio, ele a tratava como tal, lhe trazendo comida, brinquedos mas a isolando de tudo que a fizesse lembrar seus pais, para ela o monstro dizia que os pais não a estavam mais procurando , que davam graças a Deus por terem se livrado dela, quando ela dizia que não acreditava, isso irritava ele.
No momento em que ela menstrua, as coisas mudam, ela é vista como mulher e na cabeça do sequestrador como uma pessoa suja, os maus tratos aumentam e são muitos, chegam a dar embrulho no estômago tudo que essa moça aguentou ano após ano.
Achei interessante ao mesmo tempo que ela narra alguns fatos dentro do cativeiro termos notícias e fatos do que rolava do lado de fora, dá um misto de nervoso e raiva ver os constantes erros da polícia da época em tentar descobrir algo sobre o sumiço dela, chegam tão perto e anda fazem. Ou agem com tantos erros que jamais acharíamos existir isso no mundo perfeito que nos mostram lá fora, onde só nosso país tem atrocidadades e erros da polícia.
Desnutrida, cheia de hematomas Natascha foge e se liberta aos 18 anos. Não conseguia parar de ler, o embrulho no estômago ,as maldades que li não saiam de minha cabeça nem quando ia dormir, terminei o livro diferente, incomodada.
Me assustou ver que depois de 8 anos sendo refém de um maníaco o povo de seu país ainda teve coragem de ficar contra ela. A acusaram de ganhar dinheiro com as história . Sério, a meu ver mesmo que tenha ganho, nenhum dinheiro vai pagar os danos de tempo e abusos que essa moça teve. Acusá-la de síndrome de Estocolmo por ter ficado com a casa, mas ela é clara quando explica que não queria ninguém comprando aquilo e fazendo de museu de seu triste passado.
Forte , verdadeiro e chocante. A história de Natascha nos mostra o como o ser humano pode ser mau com seus semelhantes, mas também mostra a garra dessa jovem, que com todos os traumas e motivos para desistir de viver, lutou pela vida. Um livro maravilhoso e muito bem escrito.

"Livro - 3096 dias Posso finalmente dizer"

Baixar 3096 dias Posso finalmente dizer: Sou Livre, por Natascha Kampusch
  • 3096 dias Posso finalmente dizer Download - Sinopse + Resenha
Importante Prós
  • Funcionalidade descomplicada
  • Ótimo desempenho
  • Fácil de ser utilizado
  • Baixo consumo de recursos do dispositivo
Importante Contras
  • Para melhor performance necessita de um dispositivo compatível
  • Interface sem muitos recursos gráficos
Requisitos: Este livro foi desenvolvido para os dispositivos iOS, Readers e alguns recursos podem não funcionar como planejado com um mouse ou trackpad. Para visualizar este livro, você deve ter um dispositivo iOS com iBooks 1.3.1 ou posterior e iOS 4.3.3 ou um Kindle.